Bratislava - parte II

sexta-feira, março 20, 2015

E assim começou mais uma aventura, mesmo no dia antes de decidirmos viajar. Saímos do estágio e fomos até à estação de comboios mais próxima comprar o bilhete antecipadamente para prevenir algum atraso que ocorresse no dia seguinte. E assim foi, mas o destino não quis, e quando chegámos à estação, depois de estarmos alguns minutos à espera numa fila, um senhor (não muito simpático) disse que a bilheteira internacional era ali ao lado, mas que achava que já estava fechada, no entanto pediu-nos para confirmar-mos. Batemos com o nariz na porta e confirmámos de facto que estava fechada, então aí fomos nós novamente para uma fila onde a senhora nos indicou outra estação onde poderíamos comprar o bilhete, no entanto o cansaço já se apoderava de nós e os ponteiros já iam bem adiantados no relógio, então resolvemos ir para casa e no dia seguinte iríamos acordar mais cedo para comprar o bilhete antes da viagem. Sei que estão a pensar que adormecemos, mas não, nós acordámos às 6 horas da madrugada, comemos, vesti-mo-nos e aí vamos nós em direcção à estação. É verdade que nos atrasámos um pouco, mas tudo controlado porque a bilheteira só abria às 6:45h e o comboio seria às 7:11h. A verdade é que eram 7 horas e estávamos na bilheteira a comprar os bilhetes e a ser informadas que só poderíamos apanhar o comboio na outra estação, e que o comboio era as 7:25h, caso contrário só teríamos outro às 9h e tal e que chegaria ao meio-dia, o que era impensável visto que tínhamos acordado tão cedo.
Ok, chalenge accepted, e aí vamos nós, a procurar na net como chegar à outra estação, correr, apanhar autocarro, e correr, correr muito, correr quase 1km para chegar à estação uma vez que não sabíamos onde era a paragem do autocarro que nos levaria lá, e procurá-la só nos ia fazer perder tempo. Do sítio onde estávamos dava para ver a estação, mas era como uma miragem, parece que quanto mais corríamos mais longe ficava, isto às 7h da manhã, com uma temperatura a rondar os 2ºC. A minha amiga já tinha perdido a voz, mas conseguimos, chegámos e lá perguntei se era aquele comboio que seguia para Bratislava, e assim conseguimos entrar, 1 minuto antes do comboio arrancar. Acordar cedo, o frio de rachar, a dor de garganta de correr ao frio, as pernas que já nem sentia...tudo obstáculos que conseguimos vencer com um sorriso nos lábios.
Óbvio que com tudo isto nem sequer ligámos à carruagem em que tínhamos entrado, e ainda tentámos ver no bilhete se havia lugar marcado, mas não percebemos nada e sentá-mo-nos no que nos apeteceu. Acontece que o mesmo revisor com quem eu tinha falado inglês aparece e começa a disparar frases em húngaro (como se num minuto eu tivesse aprendido húngaro) e pronto, aí estávamos nós, mais uma vez no sítio errado...não, o comboio era aquele, só que estávamos na 1ª classe e tínhamos bilhete de 2ª. Lá procurámos o lugar certo e acabámos por achar que a 2ª classe até era bem mais confortável.
E pronto, desfrutámos da viagem, e chegadas a Bratislava partimos à aventura, porque mapas só pagando, então seguimos as pobres indicações do Google Maps e conseguimos encontrar umas raparigas que nos levaram até ao centro. Mas antes ainda vivemos outra aventura, mas essa fica para o próximo post.





Vê também

1 comentários

  1. Uma aventura logo pela manhã, Coitadas. Mas ainda bem que conseguiram apanhar o comboio :)

    Beijinhos,
    Catarina A.
    http://heartlover16.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Posts populares

Arquivo

Blogs de Portugal

Subscribe