Tempo

sábado, outubro 27, 2012


 

O tempo é aquela criança que arruma o quarto se lhe deres um doce… é aquela gaja que se deixa influenciar por qualquer palavra que lhe chegue da boca de qualquer um e usa rendas só porque estão na moda, e corta o cabelo porque toda gente corta. O tempo é influenciável e sensível aos sentimentos, é tudo e não é nada!

Une-se à vida e brinca connosco e quando menos esperamos o tempo já não vale nada, apenas separa aquilo que já fomos daquilo que somos e por muito que o tentemos recuperar nada haverá a fazer.

A cada hora que passa desenhamo-nos, escrevemos a nossa história, desejamos o nosso futuro e criamos sonhos que esperamos realizar à medida que o ponteiro do relógio corre. Sim, os sonhos vivem nos momentos e são como o algodão doce que é cor-de-rosa e queremos sempre comer e quando conseguimos desfaz-se rápido na boca, sabendo sempre a pouco. Ah, e depois, se não tivermos cuidado, os dedos vão ficar a colar e não vamos ter como nos limpar. Todos os sonhos têm um açúcar que no fim de contas vai ficar a colar e vai estragar o nosso momento perfeito.

Algo tão imprevisível só poderia viver no tempo, que nos faz desejar que um segundo dure ma vida e implorar para que um instante seja tão rápido que não haverá escala capaz de o medir.

Hoje, às duas da madrugada tenham a oportunidade única agarrar no relógio e voltar a viver uma hora outra vez, com mais sonhos, mais desejos, mais açúcar e mais momentos que deveriam ser para sempre.

Se estiverem simplesmente entre lençóis, de olhos fechados, aproveitem para sonhar.
 







 
 
 

Vê também

0 comentários

Posts populares

Arquivo

Blogs de Portugal

Subscribe